segunda-feira, novembro 30, 2009

Frase Intemporal

«Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão.»

Eça de Queiroz

Pato (estou sem palavras! :P)

sábado, novembro 28, 2009

Como meter um frigorífico em casa

video

Pato (isto é tão mau que se torna excelente! ;)

quinta-feira, novembro 26, 2009

É de rir...

Se um dia forem apanhados a mudar o pneu ou coisa do género, sem o colete, digam sempre que não têm, mesmo que o tenham convosco.
É que a multa por não ter o colete são 60 euros. A multa por não o utilizar (tendo-o) é 120 euros…

quarta-feira, novembro 25, 2009

Japongas do camandro...

video
Pato (fixolas esta cena! :D)

terça-feira, novembro 24, 2009

Devoção completa

Pato (u prumetídio é duvídeo! :P)

segunda-feira, novembro 23, 2009

O Gato que gosta de Água

video

Pato (pronto: e era só! :P)

sábado, novembro 21, 2009

Médis

A Ministra da Saúde visitou um hospital acompanhada pelo director.
Ao passarem numa enfermaria deparam com um doente a masturbar-se furiosamente, e a Ministra pergunta o que se passa com aquele paciente.

O director do hospital informa a Ministra de que se trata de um caso patológico, o qual implica que o paciente tenha de ejacular de 2 em 2 horas porque senão os testículos ficam desmesuradamente inchados.

A visita continua e logo mais à frente, num quarto, deparam-se com uma enfermeira a fazer s*xo oral a outro paciente.

A Ministra, estupefacta, pergunta qual o significado daquilo, ao que o director, consultando a ficha do doente, responde:
-Sr.ª Ministra, este é um caso absolutamente igual ao anterior, só que este doente vem pela Médis, e não pela Segurança Social.

sexta-feira, novembro 20, 2009

Pérolas ouvidas durante jogos do Vitória de Setubal

Apá filhe da puta, a tua mãe nã te parriu, cagou-te!

Palhace, tás aí a ápitarre e tá a tua melherr da cama cu outrres!

Um cigarrinhe? Cigarrinhe erró chóferr dus barrques da Trróia!

Serrem tantas cagente até nos enrolarmos todos!

Espeta a banderrrinha do rabo e faz daventoinha, pandelerre!

Levas cá uma aberrlaitada que vás d'esguelha cantarr pá marrateca!

Ah! Miga qu'é inse? Sê apanhe o sacrrista qu'inventou a merrda dos equipamentes secundárrios do Vitórria dávale um parr de nalgadas. Cô-de-rosa? Ganda vase da merrda! Deve pensarr qu'isté o Benfica.

Qué inse, pá? Ê tenhe uma vivenda da lua...só falta um prregue!

À pá sóce... na veje nada com estes sapates!

Tá um palmelão pa ficarr sem burre!

Parriga, gostas d'arroz de grrele? Trrás o grrele quê dô-te o arroz.

Tá bem, ganhates. Leva a taça, leva a bciclete, quê fique cas rodas.

EEHH sóce! Põe-te à defesa co garrda-redes é anão! N'ábuses!

Quemerr à pata é qué d'home!

Faca e garrfe? Inse éi pã menines!

Apá sóce, inse assim nã vale, pá!

Nã vale? Apá, Naval é ó pé da doca!

Olha, dêu-me um vagã de camarrinhas e parrti o sôce tode.

Levas uma chapada da carra c'andas vinte dias a cagarre fiambrre!

Quem é o sóce que nunca terre apanhade uma caganêrra depois de comêrre uma bola com querréme do CÁQUINHAS?

Haverrem de chegarrr a casa e tarr tude quêmáde e nem o cão se salvasse!

Porrca é a tua mãe q'anda a reçarr ca cona do alcatrrão!

Haverrem erra de cair as duas pontes cas caminetes e tude! Nem s'aprroveitava as caxas prretas!

Levas uma das trrombas que dás 10 voltas às cuecas sem tcarr dos elástiques!

Atã, melherr, tarres aqui do jogue e o tê marrido ficarr em casa?

O mê marride que nã se quêxe, porrque sê fosse come às outrras, no dia em qu'ele ambarrcou prr'Ángola,
antes de meterr os pés do barrque já tinha erra um parr de corrnes daqui até à Trróia!

quarta-feira, novembro 18, 2009

AMÁ-LA ou AMAR-TE? Português Complicado...

Amar é....

O marido, ao chegar a casa, no final da noite, diz à mulher, que já
estava deitada:

- Querida, eu quero amá-la.

A mulher, que estava a dormir, com a voz embolada, responde:

- A mala... ah não sei onde está! Usa a mochila que está no roupeiro
do quarto de visitas.

- Não é isso querida, hoje vou amar-te.

- Por mim, podes ir até Júpiter, até Saturno e até à p
* que te pariu, desde que me deixes dormir em paz...


Pato (unstop me the store! :P)

terça-feira, novembro 17, 2009

Como arruinar um casamento

Pato (priceless! :D)

sexta-feira, novembro 13, 2009

Família brasileira no Orkut


Pato (Premiada para foto do ano na World Press Photo JÁÁÁÁÁ!!! :P)

quinta-feira, novembro 12, 2009

Amotolia

video

Pato (já não se fazem nem carros nem anúncios nem velhotes desdentados assim! :P)

quarta-feira, novembro 11, 2009

Toca e FOOOOOOOOOOOOOOOOOOGE!

video

Pato (uma beca abusador mas tass! :D)

terça-feira, novembro 10, 2009

Marketing de Mendigo

video

Pato (grandes ideias são assim! :D)

segunda-feira, novembro 09, 2009

Limão


Pato (LOL! :P)

domingo, novembro 08, 2009

Sanduiche-ICHE

Pato (a-do-rei-REI! :P)

sábado, novembro 07, 2009

"Somos Funcionários Públicos"

Pato (isto é qualquer coisa entre o absolutamente brilhante e o extremamente deprimente! :P)

sexta-feira, novembro 06, 2009

A minha Scooter nova

video

Pato (priceless! :D)

quinta-feira, novembro 05, 2009

Imagem do dia


Pato (era só isto! :P)

quarta-feira, novembro 04, 2009

O penalty mais misterioso de todos os tempos

Pato (X-Files are back! :P)

terça-feira, novembro 03, 2009

"A medicina na voz do povo" - longo mas vale a pena!

Carlos Barreira da Costa , médico Otorrinolaringologista da mui nobre e Invicta cidade do Porto, decidiu compilar no seu livro "A Medicina na Voz do Povo", com o inestimável contributo de muitos colegas de profissão, trinta anos de histórias, crenças e dizeres ouvidos durante o exercício desta peculiar forma de apostolado que é a prática da medicina. E dele vão verdadeiras jóias deste tão pouco conhecido léxico.

Os aparelhos genital e urinário são objecto de queixas sui generis:
"Venho aqui mostrar a parreca".
"A minha pardalona está a mudar de cor".
"Às vezes prega-se-me umas comichões nas barbatanas".
"Tenho esta comichão na perseguida porque o meu marido tem uma infecção na ponta da natureza".
"Fazem aqui o Papa Micau ( Papanicolau )?"
"Quantos filhos teve?" - pergunta o médico. "Para a retrete foram quatro, senhor doutor, e à pia baptismal levei três".
"Apareceu-me uma ferida, não sei se de infecção se de uma f... mal dada".
"Tenho de ser operado ao stick . Já fui operado aos estículos".
"Quando estou de pau feito... a p... verga".
"O Médico mandou-me lavar a montadeira logo de manhã".

O diálogo com um paciente com patologia da boca, olhos, ouvidos, nariz e garganta é sempre um desafio para o clínico:
"Quando me assoo dou um traque pelo ouvido, e enquanto não puxar pelo corpo, suar, ou o ca..., o nariz não se destapa".
"Não sei se isto que tenho no ouvido é cera ou caruncho".
"Isto deu-me de ter metido a cabeça no frigorífico. Um mês depois fui ao Hospital e disseram-me que tinha bolhas de ar no ouvido".
"Ouço mal, vejo mal, tenho a mente descaída".
"Fui ao Ftalmologista, meteu-me uns parafusinhos nos olhos a ver se as lágrimas saiam".
"Tenho a língua cheia de Áfricas".
"Gostava que as papilas gustativas se manifestassem a meu favor".
"O dente arrecolhia pus e na altura em que arrecolhia às imidulas infeccionava-as".
"A garganta traqueia-me, dá-me aqueles estalinhos e depois fica melhor".

As perturbações da fala impacientam o doente:
"Na voz sinto aquilo tudo embuzinado".
"Não tenho dores, a voz é que está muito fosforenta".
"Tenho humidade gordurosa nas cordas vocais".
"O meu pai morreu de tísica na laringe".

Os "problemas da cabeça" são muito frequentes:
"Há dias fiz um exame ao capacete no Hospital de S. João".
"Andei num Neurologista que disse que parti o penedo, o rochedo ou lá o que é...".
"Fui a um desses médicos que não consultam a gente, só falam pra nós".
"Vem-me muitos palpites ruins, assim de baixo para cima...".
"A minha cabecinha começa assim a ferver e fico com ela húmida, assim aos tombos, a trabalhar".
"Ou caiu da burra ou foi um ataque cardeal".


As dores da coluna e do aparelho muscular e esquelético são difíceis de suportar:
"Metade das minhas doenças é desfalsificação dos ossos e intendência para a tensão alta".
"O pouco cálcio que tenho acumula-se na fractura".
"Já tenho os ossos desclassificados".
"Alem das itroses tenho classificação ossal".
"O meu reumatismo é climático".
"É uma dor insepulcrável".
"Tenho artroses remodeladas e de densidade forte".
"Estou desconfiado que tenho uma hérnia de escala".

O português bebe e fuma muito e desculpa-se com frequência:
"Tomo um vinho que não me assobe à cabeça".
"Eu abuso um pouco da água do Luso".
"Não era ébrio nato mas abusava um pouco do álcool"
"Fujo dos antibióticos por causa do estômago. Prefiro remédios caseiros, a aguardente queimada faz-me muito bem".
"Eu sou um fumador invertebrado".

O aparelho digestivo origina sempre muitas queixas:
"Fui operado ao panquecas".
"Tive três úlceras: uma macho, uma fêmea e uma de gastrina".
"Ando com o fígado elevado. Já o tive a 40, mas agora está mais baixo".
"Eu era muito encharcado a essa coisa da azia".
"Senhor Doutor a minha mulher tem umas almorródias que com a sua licença nem dá um peido".
"Tenho pedra na basílica".
"O meu marido está internado porque sangra pela via da frente e pinga pela via de trás".
"Fizeram-me um exame que era uma televisão a trabalhar e eu a comer papa".
"Fiz uma mamografia ao intestino".
"O meu filho foi operado ao pence (apêndice) mas não lhe puseram os trenos (drenos), encheu o pipo e teve que pôr o soma (sonda)".

Os medicamentos e os seus efeitos prestam-se às maiores confusões:
"Ando a tomar o EspermaCanulado"- Espasmo Canulase
"Tenho cataratas na vista e ando a tomar o Simião" - Sermion
"Andei a tomar umas injecções de Esferovite" - Parenterovit
"Era um antibiótico perlim pim pim mas não me fez nada" - Piprilim
"Agora estou melhor, tomo o Bate Certo" - Betaserc
"Tomo o Sigerom e o Chico Bem" - Stugeron e Gincoben
"Ando a tomar o Castro Leão" - Castilium
"Tomei Sexovir" - Isovir
"Tomo uma cábulas à noite".
"Tomei uns comprimidos "jaunes", assim amarelados".
"Tomo uns comprimidos a modos de umas aboborinhas".
"Receitou-me uns comprimidos que me põem um pouco tonha".
"Estava a ficar com os abéticos no sangue".
"Diz lá no papel que o medicamento podia dar muitas complicações e alienações".
"Quando acordo mais descaída tomo comprimidos de alta potência e fico logo melhor".
"Ó Sra. Enfermeira, ele tem o cu como um véu. O líquido entra e nem actua".
"Na minha opinião sinto-me com melhores sintomas".

O que os doentes pensam do médico:
"Também desculpe, aquela médica não tinha modinhos nenhuns".
"Especialista, médico, mas entendido!".
"Não sou muito afluente de vir aos médicos".
"Quando eu estou mal, os senhores são Deus, mas se me vejo de saúde acho-vos uns estapores".
"Gosto do Senhor Doutor! Diz logo o que tem a dizer, não anda a engasular ninguém".
"Não há melhor doente que eu! Faço tudo o que me mandam, com aquela coisa de não morrer".

Em relação ao doente o humor deve sempre prevalecer sobre a sisudez e o distanciamento. Senão atentem neste "clássico":
"Ó Senhor Doutor, e eu posso tomar estes comprimidos com a menstruação?
Ao que o médico retorque: "Claro que pode. Mas se os tomar com água é capaz de não ser pior ideia. Pelo menos sabe melhor."

segunda-feira, novembro 02, 2009

Aceitavas os serviços desta empresa?


Pato (:P)

domingo, novembro 01, 2009

Casting de moda

Isto é muito bom... reparem nos vários tipos de beleza bem patentes neste vídeo (OBRIGATÓRIO VER ATÉ AO FIM):

video
Pato (molto buono!!! :D)